Escolha uma linha
Diminuir Normal Aumentar
1
Indique para os seus amigos
Indique para os seus amigos

13/06/2014
Mobilidade Urbana: excesso de carros gera lentidão nas cidades
No ES a frota de veículos cresceu 10% ao ano, um valor acima da media do país, que registrou 7%.

imagem

O crescimento desordenado das metrópoles tem gerado grandes problemas de locomoções. É difícil entender como as cidades podem prosperar, gerar renda e empregos, sem renovar sua estrutura e sistema de transporte. Só no Espírito Santo, nos últimos nos últimos dez anos, a frota de veículos cresceu 10% ao ano, um valor acima da media do país, que registrou 7% a.a, segundo levantamento do Governo do Estado. Alem disso, cerca de 130 milhões de automóveis devem circular no Brasil até 2020.
Frente aos caos, ter um carro não é mais, necessariamente, sinônimo de autonomia, agilidade ou conforto. Ser impedido de se locomover por causa do transito, por exemplo, significa perda de tempo e qualidade de vida.
De acordo com a pesquisa Nacional por amostra de domicilio (Pnad) 2012, o percentual de domicílios com automóveis é de 42,4 %, correspondendo a 26,7 milhões de lares. Afinal, os atraentes financiamentos estão cada vez mais acessíveis à população. Em contrapartida, as passagens de ônibus sofrem reajustes e aumentam o valor a cada ano. Esse encarecimento e ineficiência do transporte publico leva a perda de passageiros, que em geral, migram para o transporte privado.
O excesso de carros, a ma qualidade dos transportes públicos e a falta de investimentos tornam-se um desafio ainda maior com a aproximação de dois mega eventos no país, a copa do mundo, daqui a dois meses e as olimpíadas em 2016. Para correr contra o tempo, o Governo Federal liberou no mês passado mais de R$ 3,8 bilhões para investimentos em obras de mobilidade urbana, em sete estados que serão sede dos jogos da copa do mundo.
SOLUÇÕES
No Espírito Santo, o Governo do Estado disponibilizou um relatório de prestação de contas que aponta investimentos de R$ 683 milhões em mais de mil quilômetros de vias, seis planos de mobilidade urbana, aproximadamente R$ 3,4 bilhões na execução do programa de Desenvolvimento Sustentável do Espírito Santo, 207 obras de infraestutura e a implantação do plano de mobilidade metropolitana (PMM) que prevê 51 obras e ações. O objetivo é suprir os gargalos da mobilidade urbana.
Segundo o secretario de transporte e obras publicas do Espírito Santo, Fabio Ney Damasceno, o programa é sustentado por três pilares, são eles: melhoria da infraestrutura viária; do transporte coletivo.e multimobilidade, que consiste em meios alternativos de circulação nos municípios da região metropolitana.
"Sobre os projetos para melhoria na infraestrutura viária, podemos destacar a conclusão de obras, como a ampliação da Avenida Francisco Ferrari, em vitoria, a construção da alça da terceira ponte, no sentido vila velha, o trecho um da Avenida João palácio, em serra e os corredores sudoeste, em Cariacica e Viana do norte" Afirma o secretario que complementa mencionando que as obras executadas pelo Governo contemplam ciclovia.
Quanto à multimodalidade, Damasceno afirma que o programa também incentiva a utilização de bicicletas como meio de transporte alternativo. "A implantação de sistema Bike GV e bicicletas publicas compartilhadas já esta em andamento. A expectativa é de que ate no fim deste ano o sistema esteja completamente implantado, sendo mais uma alternativa de transporte para a população que circula na região metropolitana", explica.
O programa ainda contempla os cicloviários,campanhas de conscientização e educação junto ao Detran/ES e a consolidação das ciclorotas metropolitanas. Além de rotas de ônibus exclusivas para transporte de ciclistas, que utilizam a terceira ponte como trajeto, e a volta do sistema aquoviário, uma opção de transporte entre Vila Velha e Cariacica.




voltar
rodapé Cartão MelhorCartão Melhor Rodrigues Design Viação Sudeste Viação Santa Luzia Ir e Vir Cartão Melhor