Escolha uma linha
Diminuir Normal Aumentar
1
Indique para os seus amigos
Indique para os seus amigos

13/06/2014
Faixa exclusiva é item emergencial para melhorar o transporte urbano
NTU faz campanha para aprimorar e qualificar o transporte público

imagem

A Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) vai lançar um guia para orientar e ajudar prefeitos, e gestores municipais em geral, no momento de contratar projetos de mobilidade urbana. A publicação técnica faz parte de uma campanha que a entidade lançou no início de novembro com o objetivo de melhorar e qualificar o transporte público nas cidades brasileiras.
"Ainda estamos trabalhando nessa publicação técnica. Será uma nova contribuição do setor para ajudar a acelerar a contratação desses projetos", explica Otávio Cunha Filho, presidente-executivo da NTU. A ideia é ampliar a discussão sobre a necessidade de melhorar os deslocamentos diários feitos por ônibus urbanos e traçar uma metodologia, passo a passo, de como fazer a contratação de projetos de faixas exclusivas para ônibus. Além deste guia, a entidade pretende levar a público outros pontos relativos ao assunto, como sugestões para a subvenção e gratuidade tarifária.
A Campanha Nacional de Qualificação das Redes Convencionais de Transporte Público Urbano é uma das ações da NTU para buscar a qualificação dos serviços de ônibus. O chamado Programa Emergencial de Qualificação do Transporte Público por Ônibus foi apresentado ao governo federal como uma proposta que contempla pilares estratégicos para melhorar e qualificar, em curto prazo, o transporte público em todas as cidades. O programa destaca a faixa exclusiva como item emergencial para estimular os administradores municipais a promover melhorias no sistema coletivo de deslocamento por ônibus.
"Com a proposta, nossa intenção é melhorar a qualidade dos serviços e reduzir os custos de operação, com a implantação de quatro mil quilômetros de faixas exclusivas em 46 municípios - todas as capitais e cidades com população superior a 500 mil habitantes - nos próximos 12 meses", explica Cunha.
A proposta inclui a construção de faixas exclusivas de ônibus, com fiscalização eletrônica em tempo integral e melhorias nos pontos de parada, incluindo a instalação de painéis de informações sobre itinerários dos coletivos. Em sua avaliação, esses projetos demandam soluções tecnológicas simples, sem intervenções físicas relevantes, e com retorno imediato para o usuário.
A publicação "Faixas exclusivas de ônibus - experiências de sucesso" faz parte da campanha da NTU e foi pensada, exatamente, para sensibilizar os prefeitos e gestores nos municípios, alertando para a importância da implantação de faixas exclusivas de ônibus, como item de qualificação do transporte público urbano por ônibus.

ESTUDO DE CASOS - Também como forma de estimular a implantação de faixas exclusivas, a publicação "Faixas exclusivas de ônibus - experiências de sucesso" da NTU detalha as experiências recentes de implantação de corredores exclusivos nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Goiânia, com detalhes técnicos de cada projeto de vias exclusivas e de sistema BRS (Bus Rapid System). "De modo geral, os corredores de Goiânia e do Rio de Janeiro são os mais completos, pois envolvem a revitalização do espaço urbano ao longo das faixas. No caso destas cidades, se pensou em algo mais, como pontos de paradas, informação ao usuário, ciclovias, rampas de acesso, entre outras ações", assinala Cunha. "Os exemplos dos BRS no Rio de Janeiro e Goiânia têm mostrado que a qualificação nos pontos de parada, incluindo informação sobre rotas e linhas dos ônibus, traz conforto e satisfação para os usuários", acrescenta. Ele destaca que o mais importante é mostrar que a faixa exclusiva é uma medida barata, rápida e eficiente e que serve para qualquer tamanho da cidade.


RIO DE JANEIRO - Na cidade do Rio de Janeiro, estão atualmente operando sete sistemas BRS. O BRS Ipanema/Leblon, inaugurado em agosto de 2011, tem 64 linhas em um total de 3,5 quilômetros de extensão, com uma demanda diária de 190 mil passageiros e 23 mil no horário de pico. Os principais resultados da implantação foram a redução em 10% na duração média das viagens e redução de 10% da frota operacional necessária.
O BRS Rio Branco foi inaugurado em dezembro do mesmo ano, com 93 linhas, em 1,3 quilômetros de extensão, onde são transportados 308 mil passageiros por dia e 37 mil no pico. Os principais benefícios foram a redução de 43% e de 17% na duração média das viagens nos picos da manhã e da tarde, respectivamente, e a redução de 10% da frota operacional. O BRS Presidente Vargas foi inaugurado em março de 2012, com três quilômetros de extensão e 59 linhas no sentido zona norte e 136 linhas no sentido Candelária, para o trânsito de 545 mil passageiros diariamente e 65 mil no horário de pico. Benefícios: redução de 20% na duração média das viagens e de 10% na frota operacional.
Já o BRS Presidente Vargas (pistas laterais), aberto em abril de 2012, gerou redução de 20% na duração média das viagens e de 10% na frota operacional. O sistema tem extensão de três quilômetros em cada sentido, com 141 linhas no sentido Zona Norte e 119 linhas no sentido Candelária.
Em uma pesquisa realizada no ano passado com usuários do BRS de Copacabana, 63% consideraram o uso das faixas ótimo ou bom e 65% deles identificaram como principal vantagem a redução do tempo de viagem.
Nas vias exclusivas do Rio, a mudança de faixa dos veículos particulares que desejem fazer uma conversão só é permitida bem antes dos sinais de advertência e semáforos, e foram colocadas placas para sinalizar e orientar os motoristas sobre as possibilidades de conversões existentes. Os veículos particulares fotografados duas vezes na faixa seletiva serão multados.


SÃO PAULO - Em São Paulo, onde a experiência com corredores de ônibus começou há mais tempo, a velocidade dos ônibus (velocidade média nos trajetos, contando as paradas) chegou a subir 108%, reduzindo os tempos de deslocamento em até 25 minutos. A maior metrópole da América Latina focou, em 2013, a priorização do transporte de passageiros por ônibus com a meta de implantação de 216,7 quilômetros de corredores exclusivos até o final do ano, uma iniciativa que recebeu o nome de "Dá Licença para o Ônibus". Até o mês de setembro, a cidade já contava com 204 quilômetros de faixas exclusivas. Somando a meta para 2013 com os corredores que já haviam sido implantados até 2012, a expectativa era de que a cidade encerrasse o ano com um total de 342 quilômetros de faixas exclusivas.
No corredor Marginal Pinheiros, inaugurado em julho de 2013, a velocidade média dos ônibus teve um aumento de 78%, passando de 14km/hora para 25km/h. A implantação foi feita em três etapas distintas. O primeiro trecho tem 7,8 quilômetros de extensão com 38 linhas e uma demanda diária de 393 mil passageiros. O sistema movimenta 98 ônibus por hora no sentido oeste e 60 veículos/hora no sentido contrário. O segundo trecho tem 5,8 quilômetros, 15 linhas e transporta uma média diária de 175 mil passageiros. Pelo terceiro trecho transitam diariamente 193 mil passageiros, por 177 linhas, com um total de 7,4 quilômetros de extensão.
O BRS paulista norte-sul foi inaugurado em agosto de 2013, tem 13 quilômetros de extensão e 91 linhas. Diariamente a demanda é de 236 mil passageiros. Já o BRS Marginal Tietê começou a operar em junho de 2013, tem 12,7 quilômetros nos dois sentidos, 30 linhas e uma demanda de 210 mil passageiros. Desde que começou, este sistema registrou uma redução de até 30 minutos na duração média das viagens.
Atualmente, 75% dos paulistanos utilizam o ônibus como meio de transporte diário. A cidade conta com 77 radares que fiscalizam o transito e multa para quem desrespeita as regras é de R$ 53, além de receber três pontos na carteira de habilitação, informa a NTU.

GOIÂNIA - O estudo da entidade considera que Goiânia encontra-se na vanguarda da inserção de tecnologia para monitoramento e prestação de informação aos usuários de transporte coletivo por ônibus. Atualmente toda região metropolitana de Goiânia - que possui 20 municípios - é atendida por um sistema único de transporte publico.
Os projetos da cidade prevêem a implantação de 14 corredores de ônibus, com um total de 102 quilômetros de via exclusivas para circulação e outros cinco corredores estão com o projeto básico de trafico concluído, segundo a NTU. Atualmente apenas uma faixa exclusiva, o corredor universitário, está em operação. O processo de implantação levou 10 meses e envolveu a pintura da faixa, adequação de calçadas e instalação de câmeras de fiscalização. Nesse primeiro ano de operação, a reformulação da sinalização e a maior fiscalização contribuíram também para a redução de acidentes.
Entre as modificações feitas nas estruturas viárias da Avenida Universitária, as calçadas recebem guias rebaixadas para facilitar o acesso de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Foram também construídos novos pontos de embarque e desembarque, com tabela de freqüência, itinerário das linhas, mapa do corredor e identificação. Diversos semáforos foram reprogramados para otimizar a sincronia e alguns retornos e canteiros das vias foram fechados, para contribuírem com a fluidez do tráfego.
Segundo a NTU, a faixa exclusiva para transportes coletivos contempla um sistema de fiscalização por meio de captação de imagens e processamento de informações que permitem o monitoramento de veículos que trafegam pelo corredor. Os automóveis podem utilizar as faixas destinadas a veículos coletivos apenas para realizarem coversões à direita. O projeto de comunicação do sistema de Goiânia foi elaborado com o foco em disponibilizar informações relevantes, como trajeto de linhas, horários de viagens e localização; clareza e legibilidade; e orientação de como utilizar o celular para ver os horários, em tempo real, de chegada do ônibus no ponto de parada.
O Corredor Universitário foi inaugurado em junho de 2013, tem 2,5 quilômetros de extensão com 12 linhas. Com uma demanda diária de 50 mil passageiros, circulando nessa faixa exclusiva 59 ônibus por hora. Com a implantação, foi apurado um aumento de 30% na velocidade dos ônibus.

ORÇAMENTO - O governo federal conta com a previsão orçamentária para projetos de mobilidade urbana e, recentemente, anunciou o reforço de mais R$ 50 milhões. "Acreditamos que parte desse recurso possa fomentar vários projetos da nossa área inclusive desse programa de qualificação das redes convencionais de transporte publico urbano, direcionado ao incentivo a implantação de faixas exclusivas de ônibus", declara cunha.
A proposta da NTU insere-se dentro de oito medidas que foram apresentadas pela entidade em julho, para melhoria do transporte publico coletivo no Brasil.
Para a indústria de ônibus, a campanha também poderá ser positiva uma vez que essa melhoria das condições operacionais deverá resultar em ganhos de produtividade, o que poderá refletir no mercado de ônibus novos.
(Fonte: Revista Technibus - Edição 110)




voltar
rodapé Cartão MelhorCartão Melhor Rodrigues Design Viação Sudeste Viação Santa Luzia Ir e Vir Cartão Melhor