Escolha uma linha
Diminuir Normal Aumentar
1
Indique para os seus amigos
Indique para os seus amigos

16/04/2013
Na ponta dos dedos
Fonte Revista CNT

imagem

Com apenas um toque na tela sensível do celular já é possível conseguir um táxi, descobrir qual a melhor rota a seguir na saída do trabalho para fugir do trânsito, confirmar o embarque na companhia aérea escolhida para a viagem e até mesmo saber se o ônibus ou o metrô estão operando com tranqüilidade.
A criação de aplicativos voltados para o setor de transporte tem facilitado muito a vida de usuários de transporte coletivo em todo o país, nas mais diversas modalidades (ônibus, trem, metrô, táxi, avião). Ao mesmo tempo, traz ganho de produtividade para as empresas que prestam um serviço melhor ao usuário e gerenciam de maneira mais rápida e precisa as suas operações.
De acordo com Christian Marra, diretor da Nethics, consultoria em estratégia de mídia digital, é possível explorar inúmeras funcionalidades dos aplicativos no setor de transporte. "Companhias aéreas, transportadoras rodoviárias, companhias de metrô, trens e outras podem desenvolver aplicativos que prestem vários serviços aos usuários", ressalta ele.
Hoje, já existem diversas opções nas principais lojas on-line do mercado. Em uma busca simples realizada pela internet, a reportagem da CNT Transporte Atual identificou pelo menos 20 aplicativos disponíveis, quase todos com acesso gratuito.
Essa febre pelos apps, como são conhecidos esses produtos, pode ser explicada pelo número de pessoas com acesso ao celular. No Brasil, há mais aparelhos móveis do que habitantes. Segundo levantamento divulgado pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), o país fechou 2012 com 261,78 milhões de linhas de celulares ativas. No ano, foram registradas 19,54 milhões de novas habilitações, o que representa um crescimento de 8,07% na base de assinantes. Pelo menos 35% das linhas ativas no país são de smartphones, aparelhos que possibilitam o uso de aplicativos. O país tem 190,7 milhões de habitantes, de acordo com o censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).
Em São Carlos, interior de São Paulo, um desses apps foi criado para auxiliar deficientes visuais a utilizarem o transporte coletivo. Desenvolvido pelo Grupo Criar, em junho de 2012, o Bus Alert avisa ao usuário, por meio de mensagem de voz, onde o ônibus está. Além disso, uma mensagem também é enviada ao motorista informando que em determinado ponto, um deficiente visual aguarda o embarque.
De acordo com Sérgio Soares, diretor-presidente do Grupo Criar, a iniciativa da criação do aplicativo acompanha a necessidade de o Brasil priorizar a integração entre os diferentes modos de transportes e a melhoria da acessibilidade e mobilidade das pessoas, principalmente nas grandes cidades. "Acompanhando as diretrizes de Lei da Mobilidade Urbana, principalmente no que diz respeito à acessibilidade para pessoas com deficiência e restrição de mobilidade, decidimos desenvolver o produto", explica.
Usuário do sistema, o deficiente visual Ailton Alves Guimarães afirma que hoje tem muito mais autonomia no seu dia a dia. "Antes, eu ficava no ponto perguntando para as pessoas qual ônibus estava vindo. Quando não tinha ninguém para ajudar, parava todos os ônibus que ouvia chegar. Hoje, com o aplicativo, faço tudo sozinho."
Segundo ele, o sistema é de utilização simples. Basta indicar o número da linha e do ponto de origem e de destino. O aplicativo se encarrega de avisar quando o ônibus estiver próximo. "Como sei quanto tempo ele vai levar para chegar ao ponto que eu quero, consigo me programar para sair de casa com calma. Antes, sempre perdia o ônibus. Não conseguia correr com a bengala", conta Guimarães.
Para a empresa que opera o sistema de transporte público em São Carlos, o Bus Alert também trouxe benefícios. "Ganhamos na qualidade do nosso serviço porque passamos a atender aos deficientes visuais de uma maneira muito melhore, além disso, ganhamos em operação", ressalta Fernando Carvalho, analista de GPS da Athenas Paulista.
Os 250 motoristas da empresa passaram por um treinamento interno para aprender a operar o sistema e atender os deficientes visuais da maneira adequada. Carvalho explica que o sistema informa ao motorista o nome do deficiente visual cadastrado que está aguardando o coletivo.
Além dos deficientes visuais, o aplicativo também está disponível para os demais usuários do serviço no ônibus de São Carlos. O apps também está sendo implantado em Ribeirão Preto, e em breve, deve estar disponível em outras cidades. De acordo com Soares, as prefeituras de Indaiatuba, de Jundiaí, de Campinas, de Santos e de Curitiba já demonstraram interesse pelo serviço.
Voltado para os usuários do transporte sobre trilhos, o Komutá informa a situação das linhas de metrô e trens urbanos de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), Porto Alegre (RS) e Recife (PE, além de Santiago, no Chile, e Buenos Aires, na Argentina. Os próprios usuários alimentam o aplicativo com informações em tempo real sobre a velocidade dos carros, se existem ou não problemas na via e como está a lotação dos vagões.
Para Marcos Bicalho, diretor administrativo e institucional da NTU (Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos), esses aplicativos vieram acupar uma lacuna muito grande que existia nos serviços de transporte público no Brasil, a oferta de informações precisas sobre horários e situação de serviço aos usuários. "Como o serviço é muito capilar e complexo, a utilização dos aplicativos facilita essa gestão de horários e informações. Para a mobilidade urbana de forma geral, esse é um ganho muito positivo".
Fã dos aplicativos, o designer Carlos Eduardo Carvalho Sanches coleciona os ícones de vários deles na tela inicial do celular. Os preferidos são os que permitem escolher a melhor rota do trânsito por meio de mapas de localização, realizar check-in de empresas aéreas e localizar táxis.
"Todos esses aplicativos facilitam muito a minha vida. Os de check-in me dispensam de utilizar um computador só de embarque. Os de localização me ajudam muito a achar rotas mais fáceis para qualquer destino. E com o de táxi, consigo achar um carro com apenas um toque na tela do celular."
Um doa apps utilizados por Sanches para encontrar um táxi é o ResolveAí. Disponível em 26 cidades, o sistema integra 65 cooperativas com 15 mil carros. Até o fim do ano, o aplicativo deve estar disponível em 50 cidades brasileiras.
De acordo com Gabriel Silva, sócio-fundador da empresa responsável pelo produto, a idéia surgiu depois de ele próprio passar por dificuldades ao tentar localizar um táxi na capital paulista no horário do rush. "O aplicativo foi criado não só para facilitar o dia a dia dos passageiros, mas das empresas de táxi também. Com a integração, é mais fácil e rápido localizar o motorista disponível mais próximo."

 

REDES SOCIAIS
Um novo canal de comunicação
Muitos aplicativos também possibilitam o acesso à redes sociais, um novo canal de interação entre empresas e clientes que se tornou tão essencial, segundo especialistas, quanto ter uma página na internet por se tratar de uma ferramenta sem custos altos e que pode ser atualizada em tempo real.
Segundo a consultora e professora de comunicação digital, Carolina Frazon Terra, antes de ingressar nas redes sociais, é aconselhável que as empresas analisem as características do público-alvo. Isso, inclusive, permite definir qual a melhor rede para se fazer presente. "No caso das empresas de transporte, os públicos são bastante diversos", ressalta ela.
Para a especialista em mídias sociais e sócia da empresa Mesa de Marketing, Alessandra Sleiman, é preciso também estudar a empresa minuciosamente para saber quais canais são indispensáveis, lembrando sempre que quantidade não é qualidade. "É melhor ter uma boa presença digital em poucos canais do que manter uma presença ‘a desejar' em muitos", explica.
Entre as redes mais populares estão Facebook, o Twitter e o Youtube. Em todas elas, é preciso observar certas regras de convivência para manter a imagem da empresa. Estar aberta sempre ao diálogo e permitir que o público externo possa fazer comentários sobre o que está sendo postado é fundamental. "A empresa tem de saber receber críticas e dar as respostas necessárias", afirma Carolina.

O ResolveAí é de uso totalmente gratuito para os passageiros. Para as cooperativas cadastradas é cobrada uma taxa por corrida. Mais de 100 mil pessoas já utilizam o app.
Adepto também dos aplicativos voltados para o setor de transporte, o iluminador Bruno de Castro, sempre que está em viagem a trabalho, evita problemas com atrasos nos aeroportos ao chegar, pelo celular, as informações em tempo real do vôo no qual vai embarcar. O aplicativo Voos Online, desenvolvido pela Infraero, fornece informações sobre a situação de cada vôo. "Quando estou em conexão, dá pra fazer um lanche tranqüilo, sem ter tanta preocupação se vou perder o próximo embarque", conta ele.

 

MERCADO
Opções de apps são variadas

Existe, atualmente, uma variedade imensa de aplicativos disponíveis no mercado. Pela facilidade do acesso ao GPS, grande parte deles está voltada para a questão da geolocalização, mas os apps atendem aos mais variados gostos.
Os mais populares e, consequentemente mais desenvolvidos, costumam ser os aplicativos de redes sociais, de games, de música, de compras, de produtividade no trabalho, de bate-papo e de controle nutricional.
Segundo Roberto Icizuca, sócio-diretor da Zero Um Digital, empresa de desenvolvimento de aplicativos, atualmente existe 1,5 milhão de aplicativos para as plataformas iOS e Android, e uma das áreas mais exploradas é a de localização, que está diretamente ligada ao transporte.
"O sistema de GPS oferece muitas possibilidades, e a tendência é de crescimento no setor para os próximos anos."
O executivo acredita que o mercado de aplicativos como um todo deve manter o índice de crescimento anual de 30% a 50%, que vem sendo registrado desde 2009, pelo menos até 2016.
Para o consultor de tecnologia da informação Silvio Cesar Bogsan, o mercado de aplicativos deve crescer ainda mais com a popularização dos webphones, aparelhos com acesso a e-mails, aplicativos e redes sociais, mas com sistema operacional mais simples que um smartphone, por tanto, com preço mais acessível.

Nas viagens, Castro também utiliza o app Taxímetro, que calcula o valor estimado das corridas em várias capitais do Brasil. Basta informar os locais de origem e destino. "Isso me ajuda muito quando não conheço a cidade e preciso economizar."
Novidade também no mercado de aplicativos é o app oferecido pela ALL (América Latina Logística) aos investidores da empresa. Em funcionamento desde julho de 2012, o sistema facilita o acesso às informações de mercado da companhia. Com utilização diária dos acionistas, o aplicativo já tem 500 downloads. "É um número bastante expressivo porque estamos falando de um grupo restrito de interessados", explica Patrícia Cobra, coordenadora de comunicação da ALL.
A preocupação com a violência no trânsito levou o Ministério das Cidades a criar o aplicativo Mãos no Volante. "O motorista marca o tempo que vai levar no trânsito e o app bloqueia as chamadas naquele período. Ao mesmo tempo, quem ligar para o motorista recebe uma mensagem informando que ele está dirigindo e retorna mais tarde", explica Marcier Trombiere, assessor especial do Ministério das Cidades. O órgão também criou o app Onde Tem Táxi Aqui, que ajuda a população a localizar o ponto de táxi mais próximo.
Os celulares também têm possibilitado economia de tempo aos passageiros das companhias aéreas. Na TAM, desde agosto de 2012, é possível realizar o check-in pela versão móbile do site da empresa.
Segundo informações da companhia, após fazer o check-in, o passageiro recebe por e-mail ou SMS um cartão de embarque eletrônico, com código de barras bidimensional, que deve ser apresentado ao agente de segurança no momento de embarque. "Os canais eletrônicos permitem ao passageiro uma economia média de 50% no tempo gasto nos aeroportos para efetuar o embarque", afirma nota enviada pela empresa.
Com exceção do Bus Alert e do Mãos no Volante, disponíveis apenas no sistema Android, e do aplicativo para os investidores da ALL, disponíveis apenas para iPad, os demais apps citados na reportagem estão disponíveis nos sistemas iOS e Android.

 

DICAS ÚTEIS
Como uma empresa deve agir nas redes sociais
• Não abuse da paciência de seus fãs no Facebook. Tenha cuidado na hora de planejar suas postagens. Muitas mensagens, por exemplo, pode sobrecarregá-lo
• Adicione fotos e vídeos na sua página. Uma forma de mantê-la sempre interessante é ter vários álbuns de fotos para os visitantes
• Sempre que possível, inicie uma conversa entre seus fãs. Pode ser sobre tópicos interessantes de discussão sobre algum assunto relacionado
• Poste atualizações regulares, incluindo links para blogs, mensagens ou artigos que estão em evidência e seja potencialmente de interesse para os seus fãs
• Adicione notas. Enquanto as notas não parecem se destacar em uma pagina no facebook, elas podem se acumular e servir como um arquivo de informação muito útil
• Faça perguntas, é a melhor maneira para os fãs interagirem com você
• Poste um bom dia ou parabéns em datas comemorativas
• Compartilhe notícias de produtos e serviços que ainda serão oferecidos. Os fãs adoram novidades
• Compartilhe seu sucesso ou algo bom que aconteceu na empresa
• Cuidado para não fazer da rede social uma vitrine virtual. Para isso deve existir o site da empresa

Fonte: Mesa de Marketing

 




voltar
rodapé Cartão MelhorCartão Melhor Rodrigues Design Viação Sudeste Viação Santa Luzia Ir e Vir Cartão Melhor